Agrocorp / Agtech / Glossário / Tendências /


Pluviômetro digital automático: como funciona, benefícios e como ele conecta as lavouras

Pluviômetro digital ou o convencional? Quais as vantagens e destavantagens de cada um? De que maneira e em que momento se deve recorrer a eles? Essas são questões importantes para o agricultor, pois registra o volume de chuvas na lavoura ao longo do ano é fundamental para a definição do plantio, colheita e irrigação.

Publicado originalmente no blog da empresa, o artigo que você confere abaixo aborda essas e outras questões de forma clara e útil. O texto foi escrito por Diego Santos, meteorologista na Agrosmart, startup de cultivo inteligente que monitora as fazendas em tempo real.

Por Diego Santos,
da Agrosmart *

Todo produtor rural sabe a importância de registrar o volume e a distribuição da chuva na fazenda ao longo do ano.  Essa variável é de extrema importância  para o planejamento  de atividades como plantio, colheita, aplicação de defensivos, adubação, irrigação, entre outras.

Muitos produtores medem o volume de chuva em apenas um ponto da fazenda, utilizando um pluviômetro convencional.  Coletar diariamente pluviômetros espalhados pela fazenda acaba consumindo muito tempo. Dependendo do tamanho da fazenda e da quantidade de pluviômetros, essa conta pode chegar a dezenas de horas por mês. Além do custo de mão de obra, essa forma de registrar a chuva pode não representar a situação real do volume de chuvas em diferentes regiões da fazenda, podendo comprometer a qualidade das decisões tomadas em relação ao manejo da produção.

A chamada Agricultura Digital é uma das grandes tendências do setor agrícola em busca pela maior eficiência na produção, pois, auxilia o produtor a tomar melhores decisões no campo, de forma mais ágil e de onde estiver. Neste contexto, a instalação de pluviômetros digitais conectado à internet é considerado como um primeiro passo para produtores que buscam tornar sua lavoura conectada.

Mas tenho que coletar informações todos os dias do pluviômetro?

No Brasil, ainda nos dias atuais, a maioria dos produtores não possuem um registro automático da precipitação em suas fazendas. Essa coleta de dados é realizada diariamente de forma manual nos pluviômetros convencionais. Fazendas muito grandes, com vários pivôs, necessitam de um funcionário com uma moto para ir até os pluviômetros e anotar a precipitação armazenada todos os dias, e após esse registro transcrever essa informação em uma planilha.

LEIA TAMBÉM
RELATÓRIO AGFUNDER: STARTUPS ASIÁTICAS E CAPITAL SEMENTE SE DESTACAM EM 2016
O QUE É AGRICULTURA DIGITAL E POR QUE ELA VAI REVOLUCIONAR O CAMPO
COMO UM FAZENDEIRO CRIOU A UNIVERSIDADE STANFORD E DEU ORIGEM AO VALE DO SILÍCIO
AGTECH: 3 STARTUPS DE AGRONEGÓCIO QUE VOCÊ DEVE CONHECER

Porém essa rotina é muito desgastante e gera muitos erros, por isso que atualmente em algumas fazendas que visam alta produtividade, os produtores estão instalando os pluviômetros automáticos. Esses pluviômetros registram os dados e enviam para uma plataforma na internet, gerando um dado de precipitação em tempo real.

Pluviômetro convencional

Dentre os pluviômetros convencionais o mais comum é o pluviômetro Ville de Paris, que consiste basicamente em armazenar a chuva e com o auxílio de uma proveta medir o volume captado no dia. Veja as vantagens e desvantagens do pluviômetro convencional:

Vantagens

  •   Custo inicial baixo,
  •   Necessita de pouca manutenção.

Desvantagens

  •   Falhas humanas ao transcrever e registrar os dados,
  •   Gastos contínuos com funcionários e combustíveis,
  •   Necessita ir até o local para registrar,
  •   Perdas de dados e dias sem registros,
  •   Possui limite de capacidade que o pluviômetro consegue armazenar chuva (geralmente 125 mm).

Pluviômetro digital automático

O pluviômetro automático mais comum é o pluviômetro de báscula, que ao acumular um certo volume de água, o mecanismo basculante tomba para o lado, despejando a água coletada e emitindo um pulso eletrônico que será registrado. Veja as vantagens e desvantagens do pluviômetro automático:

Vantagens

  •   Baixo custo a longo prazo,
  •   Dados em tempo real,
  •   Histórico de registros,
  •   Maior precisão nos registros,
  •   Maior capacidade de registro,
  •   Não necessita de funcionários,
  •   Não necessita se deslocar até o pluviômetro para registrar.

Desvantagens

  •   Custo inicial pode ser maior em relação ao pluviômetro convencional,
  •   Necessita de manutenção.

O que posso fazer com as informações de pluviômetro automático?

Com um registro de chuvas em tempo real é possível tomar decisões, mesmo à distância, sobre atividades que devem ser realizadas na fazenda. Com o histórico de chuvas é possível verificar qual o período de maior ocorrência de chuvas e o período de maior acúmulo de chuvas, assim como o período do início da estação chuvosa. Também é possível verificar o período mais suscetível a secas, ou o período mais suscetível a chuvas extremas. O histórico de chuvas também é importante para verificar se as chuvas do ano estão dentro do padrão, ou é um ano anômalo. Com essas informações o planejamento do manejo da cultura é elaborado com maior segurança e precisão.

Se a fazenda possuir vários pluviômetros, além dessas informações, também é possível gerar um mapa da distribuição das chuvas. Com esse mapa pode-se verificar as áreas que mais chovem na fazenda, a duração média das chuvas e seus horários mais frequentes, entre outros. Além disso, essa informação pode ser correlacionada com a produtividade da fazenda.

Na figura abaixo temos um exemplo prático de como ocorre a variação do volume de chuva em diferentes regiões de uma mesma fazenda. O mapa de precipitação da fazenda abaixo refere-se ao mês de dezembro. Pode-se visualizar que a área escura registra em média 210 mm/mês, enquanto a área mais clara registra 135 mm/mês, sendo que essa diferença de chuva entres as áreas é de aproximadamente 75 mm. Portanto a área mais ao sul (área mais clara) é a área que precisa de mais irrigação e de maiores cuidados ao longo da safra.

mapa-de-precipitacao2

Existem formas de cultivo inteligente capazes de conecta o produtor à plantação. Com compartilhamento de informações pela internet, entre o escritório e campo, é possível ajudar os produtores rurais a tomar decisões, tornando a fazenda mais rentável e sustentável.

  • Diego Santos é meteorologista na Agrosmart e graduado pela Universidade Federal de Itajubá. Seu post foi publicado originalmente no site da empresa (clique aqui