Banner-Home / Mundo AgTech /


Mundo AgTech: edição de 12 de julho

Um giro pelo que acontece de mais relevante e interessante nas startups do agronegócio pelo mundo

Nuggets à base de vegetais

Os alimentos à base de vegetais, especialmente de proteína se ervilha, eram vistos apenas como uma tendência passageira, mas estão se consolidando em um mercado bastante robusto. Depois dos populares hambúrgueres, agora é a vez dos nuggets de “frango”. A food tech americana Nuggs anunciou seu lançamento oficial, junto com um investimento de US$ 7 milhões da gigante McCain Foods, conhecida por suas batatas fritas congeladas. Por enquanto, a empresa vai vender seus nuggets plant based apenas pela internet. O sabor e a textura serão continuamente adaptados, de acordo com o retorno nos consumidores. Apesar de parecer simples, a tarefa de replicar os nuggets está dando trabalho para outras empresas, incluindo a Beyond Meat, cuja linha de tirinhas de frango foi tirada de circulação.

Leia a reportagem original no Food Dive

Expansão vertical 

Uma das principais empresas de agricultura vertical do mundo, a AeroFarms captou US$ 100 milhões, boa parte dessa quantia vinda do INGKA Group, empresa do grupo da rede de móveis IKEA, e agora é avaliada em US$ 500 milhões. Os recursos vem após uma onda de investimentos em outras startups do gênero, como a alemã InFarms e as americanas Plenty e Bowery Farms. Agora, a empresa quer expandir sua atuação tanto nos Estados Unidos quanto em outros países. Por enquanto, ela mantém apenas duas fazendas, além de um centro de pesquisas, todas instaladas em solo americano.

Leia a reportagem na íntegra no AgEvolution

Reino Unido de olho em agtechs

Como parte de um moderno plano de industrialização que prevê o uso de 2,4% do PIB em pesquisa e desenvolvimento até 2027, o governo do Reino Unido investiu 27 milhões de libras em agtechs com foco em agricultura. O objetivo é produzir mais comida, reduzir a poluição e minimizar a geração de rejeitos. A lista de contemplados inclui a Rootwave, que usa eletricidade, em vez de químicos, para matar ervas daninhas; e a The First Fleet, primeira frota de robôs autônomos dedicados ao plantio e colheita de frutas. Outras soluções envolvem o uso de internet das coisas para monitorar plantações de batatas e inteligência artificial para enfrentar doenças em grãos.

Leia mais sobre os investimentos no site da Forbes