Agrocorp / Banner-Home / Tendências /


Como a SAP vê o agronegócio e o que o SAP Leonardo tem a ver com isso

tanja2

Tecnologias como Internet das Coisas, Machine Learning e Blockchain estão no centro do sistema de inovação digital SAP Leonardo e de uma unidade do SAP Leonardo Center no Brasil, cujo lançamento no País contou com a presença de Tanja Rueckert (foto), presidente da unidade da IoT & Digital Supply Chain da companhia

Clayton Melo, de São Leopoldo *

O agronegócio tem adquirido uma importância cada vez maior na economia de muitos países, especialmente a brasileira. Esse processo está intimamente associado à busca por produtividade e eficiência, o que requer um uso cada vez intensivo de alta tecnologia.  E, assim, Internet das Coisas (IoT, em inglês), Big Data, Inteligência Artificial e outras inovações se tornam estratégicas.

Esse breve contexto ajuda entender a relação entre o recém-lançado SAP Leonardo, que a companhia define como um sistema de inovação digital, a inauguração de um centro de coinovação no Brasil e o agronegócio.

Explicando por partes, a seguir.

SAP Leonardo e o centro de coinovação em São Leopoldo

Lançado globalmente neste ano, o SAP Leonardo é uma espécie de portfólio de inovação que reúne soluções da companhia em áreas como Internet das Coisas, Big Data, Blockchain, Machine Learning e plataforma de desenvolvimento de aplicações em nuvem SAP Cloud Platform.

Como parte do plano global de lançamento desse sistema, o Brasil foi escolhido para abrigar o “terceiro centro de transformação digital” da companhia – os outros dois estão em  Nova York e Paris. Chamado de SAP Leonardo Center São Leopoldo, ele fica dentro do SAP Labs Latin America, único centro de desenvolvimento de aplicações e serviços de suporte da empresa na América Latina. Localizado em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, o laboratório foi fundado há 11 anos. “Nosso objetivo é acelerar a transformação digital dos clientes usando a metodologia de Design Thinking e todo o potencial do SAP Leonardo”, afirmou Tanja Rueckert, presidente da unidade de negócios de IoT & Digital Supply Chain da companhia, que veio ao Brasil para o lançamento do SAP Leonardo Center São Leopoldo.

 

SAP-Luis Cesar-Verdi

                         Luis César Verdi, da SAP: “O agronegócio se consolida como uma força motora da economia”

E o agronegócio é uma das áreas que estão na ponta para a aplicação do SAP Leonardo, por conta do avanço da agricultura digital.  “O que buscamos é uma convergência de várias dinâmicas. Uma delas é o agro se consolidando não só no Brasil, mas em outros países também, como uma força motora da economia, deixando de ser um negócio passivo e tradicional e se convertendo num negócio de produtividade elevada, com uso de alta tecnologia”, afirmou ao Startagro Luis César Verdi, vice-presidente sênior da SAP.

Outra dinâmica atual é a SAP de focando, para além dos sistemas clássicos de gestão, em sistemas de inovação, como o Leonardo, alavancando IoT e outras tecnologias. A IoT tem muito a ver com o agro”, diz.

Parceria com Stara

Um projeto desenvolvido no Brasil exemplifica bem o cenário. É o CONNAG, um software criado em parceria entre Stara e SAP que conecta as máquinas agrícolas da Stara com o sistema de gestão da SAP, através da plataforma Leonardo. Essa tecnologia permite interligar tratores equipados com a telemetria Stara e sistemas da SAP.

A solução de IoT permite ao agricultor monitorar em tempo real os processos de plantio, como quantidade de sementes, preparo, adubação, correção de solo, pulverização e colheita.

“Esse projeto nasceu do desafio de conectar tratores com a base de dados da SAP, em tempo real, para auxiliar os produtores na gestão das propriedades”, disse Cristiano Paim Buss, diretor de pesquisa e desenvolvimento da Stara, em entrevista recente ao StartAgro.

“Tem toda uma comunicação com as máquinas agrícolas, que estão equipadas com sensores. Fizemos uma demo com uma máquina que, por safra, gera  5 mil GB de dados. São dados como a velocidade da máquina, do motor, quantidade de produtos aplicados etc”, afirma Thiago Bohn, gerente de desenvolvimento da SAP.

“Esse computador de bordo interage com os sensores que coletam os dados e os envia para a nuvem da Stara, que repassa os dados para a nuvem da SAP, num produto chamado Connected Agriculture”.

Visão para o agronegócio

Todo o projeto foi desenvolvido no SAP Latin Labs de São Leopoldo, que iniciou operação com cinco pessoas, em 2006, e hoje conta com mais de 900. “O laboratório está no Brasil não por acaso, mas porque a SAP  vislumbrou, há muitos anos, a possibilidade de usar o País como uma fonte geradora de inovação e desenho de novos produtos”, afirma Verdi.

“E, quando essas coisas todas são reunidas, você se vê diante do nascimento de algo muito grande e bacana. As soluções da SAP para o agronegócio são produzidas no Brasil, para o Brasil e também para o mundo”

  • O jornalista visitou o SAP Labs Latin America, em São Leopoldo (RS), a convite da SAP