Agtech /


32 aceleradoras estrangeiras que todo empreendedor de AgTech deve conhecer. Por Maikon Schiessl

Quais são as 32 aceleradoras estrangeiras que todo empreendedor de AgTech deve conhecer? Listamos as melhores aceleradoras AgTech para você. Confira

Por Maikon Schiessl *

O mercado agrícola tem avançado a passos rápidos e, a cada dia, é cada vez mais comum o surgimento de startups voltadas ao agro. No setor  AgTech, as diversas startups fundadas vêm ganhando espaço e apoio, dinamizando as relações desse segmento e transformando o agronegócio por meio de tecnologias avançadas, pensamento de vanguarda e desejo de inovação.

No entanto, muitos empreendedores ainda têm dúvidas a respeito do segmento ou mesmo sobre as maneiras de obter apoio para seu desenvolvimento, seja por meio de aporte financeiro, seja pelos diversos serviços agregados à incubação ou a aceleração. Também é bastante comum que o empreendedor de AgTech tenha dúvidas sobre as aceleradoras, qual seu papel e mesmo quais as diferenças entre aceleradoras e incubadoras.

LEIA TAMBÉM
STARTUP UNICÓRNIO: O QUE FALTA PARA O BRASIL TER “SAÍDAS” BILIONÁRIAS? AS AGTECHS TÊM CHANCES?
AGTECH, A NOVA FRONTEIRA DO AGRONEGÓCIO: COMO O BRASIL PODE APROVEITAR ESSA OPORTUNIDADE

Se você está buscando compreender as diferenças entre incubadoras e aceleradoras; deseja aprender mais sobre o processo de aceleração na AgTech; deseja compreender quais são as vantagens de contar com uma aceleradora; ou mesmo está buscando conhecer as melhores aceleradoras, este artigo foi feito para você.

Falo agora das diferenças entre incubadoras e aceleradoras, das vantagens de contar com uma aceleradora e das 32 aceleradoras que todo empreendedor de AgTech deve conhecer. Confira agora!

O que são aceleradoras de startups?

Eu passei os últimos dois anos empreendendo numa startup de AgTech. Nesse período, fui acelerado em dois processos de aceleração. Durante esses anos, muitas pessoas me questionaram a respeito das aceleradoras de startups e dos reais benefícios de ser acelerado. Esse modelo de apoio aos empreendimentos vem ganhando cada vez mais força no Brasil e já é consolidado há anos lá fora. No entanto, o que são aceleradoras de startups?

As aceleradoras são empresas consolidadas, cujo principal objetivo é investir e apoiar o desenvolvimento e o crescimento acelerado (daí o nome) de startups, as auxiliando a obter novos investimentos ou mesmo a chegar em seu ponto de equilíbrio (break even), a famosa fase onde a startup já consegue pagar suas contas com a receita gerada a partir de seu negócio.

Apesar de ter algumas semelhanças com as conhecidas incubadoras de empresas, as aceleradoras de startups tem metodologia mais complexa e estruturada e trazem avanços ao modelo consolidado das incubadoras, visando alavancar o sucesso das startups que são aceleradas não somente com recursos financeiros, mas também por expertise, consultoria e networking.

Como funcionam as aceleradoras?

Em geral, o processo para uma startup ser acelerada por uma aceleradora é aberto, sendo que as aceleradoras em geral buscam por startups que contem com uma equipe formada, visando oferecer-lhes conteúdos, apoio financeiro, participação em eventos e treinamento, por um período variável de tempo, visando desenvolver a startup acelerada.

Em troca, as aceleradoras passam a contar com participação acionária na empresa, sendo que o principal valor para o empresário acelerado, além do investimento financeiro e do treinamento oferecidos, é a oportunidade de contar com acesso a um ambiente de contato com outras startups, investidores, empresários e empreendedores, facilitando o desenvolvimento do networking e abrindo novas oportunidades para a startup ao longo do processo.

Diferenças entre aceleradoras e incubadoras

Apesar de partilharem algumas semelhanças em seus princípios, enfoque e posicionamento de mercado, as incubadoras e as aceleradoras de startups têm diversos elementos que as diferenciam, sendo bastante interessante conhecer essas diferenças, visando compreender qual é a melhor solução para sua startup. Confira algumas das diferenças entre aceleradoras e incubadoras:

Diferença 1 – Modelo de negócios

Uma das principais diferenças entre as incubadoras e as aceleradoras de startups está em seu modelo de negócios, fator que as diferencia de forma bastante visível. Enquanto a incubadora, em geral, não possui fins lucrativos e é mantido por instituições públicas, as aceleradoras de startups são privadas e tem fins lucrativos, sendo mantidas por investidores que visam ganhar dinheiro com o sucesso da startup acelerada no momento da venda das ações adquiridas.

Por esperar lucros e este estar diretamente relacionado ao sucesso dos negócios da startup acelerada, a aceleradora geralmente conta com um pacote de serviços mais voltado à geração rápida e eficiente de resultados financeiros por parte do empreendimento que está sendo acelerado.

Diferença 2 – Serviços oferecidos e exigências

Outra diferença bastante importante entre as aceleradoras e as incubadoras está nos serviços oferecidos e também nas exigências de contrapartida a estes. Enquanto uma incubadora, em geral, oferece infraestrutura e espaço físico para as startups, as aceleradoras oferecem suporte em gestão, com orientação por parte de profissionais qualificados e mentorias, visando potencializar os resultados do empreendedor e fortalecer sua rede de relacionamentos.

Nas incubadoras, a participação pode ser gratuita ou exigir pagamento de taxas subsidiadas pelo empreendedor, não havendo qualquer tipo de investimento por parte da incubadora em capital para a empresa. Já nas aceleradoras, é comum que a startup ceda ações da empresa acelerada em troca de investimento de capital e dos serviços oferecidos.

Diferença 3 – Tempo de apoio e investimento

Outra diferença bastante importante entre aceleradoras e incubadoras é o tempo de apoio oferecido por cada uma das opções e também os investimentos realizados na startup, que variam bastante e permitem distinguir os dois serviços de forma bastante clara.

Em geral, as incubadoras de empresas tem tempo de apoio de um a três anos, visando acompanhar um longo período de desenvolvimento da empresa, com especial enfoque nos resultados obtidos a longo prazo. Já a aceleradora de startups, por outro lado, costuma contar com um tempo de apoio menor, até 12 meses, visando realmente acelerar o funcionamento da startup e seus resultados. Existem programas de 5 semanas como o Startup Farm e programas de 12 meses, como Wayra Brasil do grupo telefônica. Recomendo fortemente essas duas aceleradoras. Passei pelos dois processos, onde tive a oportunidade evoluir o modelo de negócio da minha empresa e evoluir como empreendedor.

Também vale destacar que as incubadoras não realizam investimento de caráter financeiro nas startups, ou seja, não há investimento de capital na startup incubada. Já as aceleradoras realizam investimento de capital inicial na startup, que pode variar de acordo com cada programa, em geral, visando fortalecer o desenvolvimento do projeto, tomando como contrapartida ações da empresa acelerada.

Diferença 4 – Contrapartidas e processo seletivo

Também é possível diferenciar as aceleradoras de startups e as incubadoras de empresas pelas contrapartidas exigidas e pelo sistema de processo seletivo para participação, já que cada uma adota sistemas e metodologias diferenciadas em seu funcionamento.

Nas incubadoras, em geral, o processo se dá por meio de pagamento de taxas, em geral subsidiadas, pela empresa que está sendo incubada, sendo que o processo de seleção geralmente não conta com grandes números de concorrência.

Já nas aceleradoras, os processos seletivos costumam ser bastante concorridos e contam com um grande número de candidatos, sendo que as aceleradoras exigem cessão de um percentual da participação acionária da empresa acelerada, como contrapartida ao investimento realizado na mesma.

As 32 aceleradoras internacionais que todo empreendedor de AgTech deve conhecer

Agora que você sabe melhor o que são as aceleradoras, quais seus objetivos e também diferenciamos as aceleradoras das incubadoras, é hora de conhecermos as principais aceleradoras que todo empreendedor de AgTech deve conhecer e que podem fazer a diferença em seu desenvolvimento. Confira agora:

33 Entrepreneurs

Uma aceleradora de startups de AgTech localizada na França, conta com programa voltado à produção de vinhos e bebidas em geral, viagens e gastronomia.

Accelerating Appalachia

Focada na aceleração de startups de “negócios naturais”, essa aceleradora realiza workshops de excelência na Carolina do Norte e no Kentucky, nos Estados Unidos.

AccelFoods

Essa aceleradora tem enfoque em investimento e aceleração em comidas embaladas e marcas de bebidas, estando localizada em Nova York.

AgLaunch

Essa aceleradora tem enfoque no desenvolvimento e suporte de startups de AgTech que desejam aplicar suas soluções para agricultura.

AgroInnovation Lab

Essa aceleradora, que surgiu das cooperativas agrícolas austríacas, tem enfoque em startups na Europa Central e Oriental.

Amius Startup Program

É focada em startups de AgTech localizadas na Europa e é mantida pela empresa de commodities inglesa Amius.

Centre for Innovation Incubation and Entrepeunership

Essa aceleradora é a primeira da Índia a ter enfoque em aceleração de startups de alimentação e agricultura.

Climate Ventures 2.0

Mantida pela Good Company Ventures, essa aceleradora surgiu da Iniciativa de Dados Climáticos da Casa Branca.

Dig Eat All

localizada na Espanha e visa atrair startups focadas em inovação no ramo de alimentação, agricultura e outras indústrias relacionadas à alimentos.

Food Future

Focada em alimentos, agricultura e empreendimentos sociais, essa aceleradora tem enfoque em startups mais maduras e é localizada em Nova York.

Food Hatch

Tem escritórios em Nova York e na Flórida e investe em startups de alimentos em todo o território dos Estados Unidos

Food System 6

É uma aceleradora focada em suporte de startups de AgTech com enfoque em sustentabilidade.,

Food-X

Uma das aceleradoras da SOS Ventures, a Food-X é localizada em Nova York e tem foco em startups de alimentação.

Good Food Business Accel

Tem foco em startups locais, de sustentabilidade e de alimentação.

H-FARM Food Accelerator

Em parceria com a Cisco, essa aceleradora de AgTech tem foco em programas de agro e é localizada na Itália.

Indie Bio

Essa aceleradora é foda em ciências da vida e tem foco em startups de alimentação e agro.

Iowa Ag Startup Engine

Tem foco em startups de agricultura e é uma iniciativa da Universidade Iowa State.

NXTP Labs

É a primeira aceleradora de AgTech da América do Sul, focando especialmente em startups argentinas e uruguaias.

Prometheus

É um programa de aceleração espanhol focado no ecossistema de alimentação.

RevTech

Localizada em Dallas, o programa de aceleração tem foco em indústrias de varejo, restaurantes e alimentação.

Simplot Ignite

É uma aceleradora localizada na Austrália e que tem foco em startups de tecnologia na alimentação.

SKU

É uma aceleradora voltada a produtos de consumidor final e está localizada em Austin, no Texas.

Skywalker Accelerator

Tem enfoque em startups relacionadas à Cannabis e é localizada em Denver

Sprout Agritech

Aceleradora Neozelandesa, tem enfoque em AgTech.

Sprout-X

É uma aceleradora australiana voltada totalmente para a agricultura e faz parte de uma iniciativa da Federação Nacional dos Agricultores.

Square Roots

Um programa de agricultura urbana localizado em Nova York.

Startup Bootcamp FoodTech

É uma aceleradora localizada em Roma, na Itália, tendo enfoque em agricultura, culinária, restaurantes, varejo, dentre outros.

Startup Next

É uma pré-aceleradora parte do ecossistema da TechStars e está localizada em Minnesota

Terra

É localizada em São Francisco e tem enfoque em espaços de trabalho colaborativos.

The Yield Lab

É a primeira aceleradora totalmente voltada à agricultura, com programas lançados na Irlanda e localizada em St Louis.

Thrive Accelerator

Localizada na Califórnia, esse programa tem parceria com a Verizon, Land O’ Lakes, Taylor Farms, Wells Fargo e Western Growers.

Village Capital

A primeira aceleradora a lançar um programa especialmente voltado para a agricultura. Está localizada em Louisville, no Kentucky.

Conclusão

Existe uma grande variedade de aceleradoras que podem ser interessantes para sua startup voltada à AgTech, mas essas são as 32 aceleradoras que todo empreendedor de AgTech deve conhecer, pois são aquelas que oferecem melhores resultados, tem enfoque específico na área ou em áreas correlatas e permite que você desenvolva seus projetos e ideias de maneira muito eficiente.

Além disso, é interessante destacar também que essas 32 aceleradoras de AgTech são apenas algumas das possibilidades que o empreendedor do setor têm a sua disposição, sendo interessante analisar quais são as opções disponíveis, seus resultados, seus pontos positivos e negativos e também aquilo que será realmente oferecido.

O que você achou de saber mais sobre as 32 aceleradoras que todo empreendedor de AgTech deve conhecer e aprender mais sobre cada uma delas? Não deixe de conferir o que já produzimos para você e de comentar abaixo!

  • Maikon Schiessl é empreendedor, BizDev e diretor do comitê de agtech da ABStartups. Passou os últimos anos empreendendo e foi acelerado pelas maiores aceleradoras do América latina. Entusiasta, evangelizador e apoiador de tecnologias na agricultura. É fundador do Agribase, um blog que fala sobre agricultura e tecnologias agro.